19729

Ford mostra o novo motor 1.0 de 3 cilindros, o EcoBoost

publicado em 26 de setembro de 2011 as 17:29

A Ford está seguindo os passos da montadora italiana Fiat, que em 2010 lançou seu motor de dois cilindros — o TwinAir, avaliado na Europa por este que vos escreve. Além disso, pelas conversas que obtive por lá, este propulsor não tardará a chegar por aqui, possivelmente no Fiat 500, vindo do México. Confira minha avaliação no Blog anterior. Bom, mas vamos em frente. A Ford mostrou no Salão de Frankfurt o novo motor de 1.0 litro, de 3 cilindros, o EcoBoost.

Batizado de Fox, o motor Ford EcoBoost 1.0 fará sua estreia global em 2012 na Europa, equipando inicialmente o Focus e depois os modelos C-MAX e B-MAX, com duas versões, de 100 cv e 120 cv. No futuro, deverá ser oferecido em outros mercados.—Claro, se equipará o Focus, virá para o Brasil, pois não deixará a Fiat dominar este mercado sozinha.

Com diversas inovações técnicas, o EcoBoost 1.0 é um dos motores mais avançados que a Ford já produziu, reforçando o compromisso da marca de ser líder em economia de combustível. Apesar do tamanho (segue a tendência Down Size, motor pequeno com grande potência) e baixo consumo, ele é capaz de oferecer o mesmo desempenho de um motor 1.6 convencional a gasolina, ou seja, 120 cv e torque de 170 Nm na faixa de 1.300 a 4.500 rpm.

Além de injeção direta de combustível, tem duplo comando de válvulas variável Ti-VCT e usa um novo turbocompressor, compacto e de alto desempenho, com resposta extremamente rápida e capacidade de girar na casa de 25.000 rpm. Saída de exaustão fundida na cabeça dos cilindros, bomba de óleo com compressor variável e sistema de refrigeração dividido, que aquece o motor mais rápido para reduzir o consumo de combustível, são outras novidades.

O desenvolvimento de geometrias sofisticadas e o uso de revestimentos especiais contribuem para reduzir as perdas internas por atrito. Além disso, suas duas principais correias funcionam imersas em óleo, para um funcionamento mais suave e silencioso. Um dos desafios enfrentados pelos engenheiros no desenvolvimento do novo motor foi o balanceamento dos três cilindros. Em vez de empregar o método tradicional de absorver essa energia com a adição de balanceadores, a Ford adotou uma nova estratégia e compensou essas forças por meio do volante e da polia.

Bom, na avaliação que fiz no motor TwinAir desenvolvido pela FPT, empresa do grupo Fiat, fiquei extremamente impressionado com o desempenho, tanto em baixa quanto em regime extremo. Quando o motor EcoBoost da Ford estiver em produção irei avaliá-lo para trazer todas as informações deste que aparentemente é um propulsor verde e potente.

Comente esta matéria